BLOGGER TEMPLATES AND TWITTER BACKGROUNDS

terça-feira, 1 de junho de 2010

Capitulo 11

Escritora: Cristy (eu)
Era de tarde, estava eu a caminhar pelas ruas de Roma, tinha acabado de sair do la spensa intelligente (extinto inteligente – supermercado italiano), tinha feito compras, passei lá muito tempo, fui as promoções, apesar de Zachary ser rico.
Estava a caminhar de regresso para a mansão de Zachary, quando avisto um jardim muito bonito, decido por instinto ir lá, aquilo era lindo, fatalisticamente lindo, em todos os lados tinham árvores magníficas e flores, todo o tipo de flores, e bancos por todos os lados e tinha várias saídas e muitos labirintos, eu estava literalmente encantada pelo lugar, de repente olho para cima e vejo um placar e estava escrito Kensington jardina por aquilo que entendi era o nome do parque, por baixo do nome estava escrito:
L'amore è un'avventura, ma la natura può seguire l'avventura (tradução: o amor é uma aventura, mas a natureza consegue acompanhar essa aventura).
Decidi sentar-me num banco e apreciar a paisagem que me rodeava, via pássaros de cima das árvores a cantar alegremente, o som que extraia os pássaros fazia-me lembrar da vida, da minha vida, principalmente destes últimos meses de angústia, tristeza e solidão. Enquanto, eu podia estar aproveitar as minhas férias de verão, não, eu estava a trabalhar como empregada da minha própria mãe e futuro marido dela, meu patrão ou meu – futuro pai ou padrasto. Estava eu a pensar quando reparo que um homem estava sentado a minha frente a ler um jornal, de uma forma calma e sincera, dava para perceber que ele enquanto lia não se preocupada com o mundo em que está rodeado, estava eu entretida com os meus pensamentos, quando alguém me oferece um gelado eu não tinha reparado que alguém se tinha sentado ao meu lado porque estava tão ausente da vida, no mundo da lua. Eu acenei com a minha cabeça que não, eu ainda não tinha reparado na pessoa que tinha ao meu lado, eu neste momento não queria falar com ninguém e principalmente com um estranho, o meu pai sempre me dissera quando era criança para não falar com estranhos, pois eles podem nos fazer mal. Eu fecho os olhos, só para disser a pessoa estranha, como gesto que não queria ouvir e para ele se ir embora, mas ele pronunciou.
-Sabe uma vez um poeta disse isto “Minha solidão não tem nada a ver com a presença ou ausência de pessoas… Detesto quem me rouba a solidão, sem em troca me oferecer verdadeiramente companhia….”. Percebeu Vanessa aquilo que eu acabei de pronunciar? – Perguntou ele
Eu fui abrindo os olhos com calma, como é que ela sabia o meu nome, eu olhei para ele repentinamente, era ele o meu patrão, Zachary efron, ele estava sentado ao meu lado com um sorriso lindo e com os olhos a brilhar a transluzirem de uma forma única e incomparável. Eu não conseguia pronunciar nada, eu estava fraca e com vergonha, acima de tudo tímida, aqueles olhos que atraiam pensamentos bons não paravam de olhar para mim, até que algum de nós começa a falar:
-Então, sweet Vanessa (Tradução: doce Vanessa), sempre vai recusar o gelado – eu olhei para as mãos dele, ele tinha dois gelados, um para mim e outro para ele, eu não sabia se havia de recusar ou aceitar a oferta – A recusar uma prenda do patrão, isso pode lhe dar direito a despedimento – ele riu eu também – Tome, e não pense em dizer que não – Eu peguei num dos gelados e segurei firme na minha mão e depois questionei-o:
-O que o senhor, está aqui a fazer, não leve a mal em perguntar – ele riu.
-Eu costumo, vir muitas vezes aqui, este lugar transmite-me paz e confiança – ele confessou – então já veio aqui muitas vezes, Vanessa?.
- Não, esta é primeira senhor Zachary – Ele olhou para mim e disse com uma voz suave.
-Trate-me só por Zachary, afinal não estamos no seu local de trabalho – Ele riu e acrescentou – Quer conhecer o parque todo? Eu não me importo de ser o seu guia turístico – Eu fiquei feliz, eu ri, mas depois lembrei-me da minha mãe esta a proximidade entre nós os dois pode destrui o namoro ou o noivado deles, mas depois pensei não deve fazer diferença nenhum, ele ama-a, não era capaz de a trair, apesar de os homens serão lobos maus sempre prontos atacar.
-Se o senhor, não se importar – Ele a levantou-se do banco e ajudou-me a levantar, que fofo, começamos a caminhar e a falar estávamos nos a divertir muito eu sentia que ele gostava da minha companhia, apesar das nossas diferenças das idades serem enormes, nós conseguíamos manter uma conversa agradável.
-Estas a gostar de Roma? – Perguntou ele, curioso com a minha resposta, os olhos dele fitavam a minha cara.
-Estou a gostar, as pessoas são adoráveis – Eu ri para ele, continuamos a nossa conversa, mas houve uma pergunta que ele me colocara que me deixou encabulada.
-Então Vanessa, o que gostaria de ser, ou que profissão gostaria de exercer?
-Eu andava a est – cortei-me eu ia dizer estudar – pensar ir para a escola, mas como tenho poucas possibilidades financeiras, não poderei ir – disse eu, ele acrescentou:
-Mas se pudesse um dia exercer uma profissão, qual seria? – Ele fitou-me.
-Cozinheira – disse eu sincera, ele olhou para mim e ficou surpreso com a minha resposta e riu e disse:
-Enquanto pessoas quer ficar ricas, você prefere ficar pobre e estar feliz, com aquilo que gosta de fazer, é incrível, passeia - a adorar ainda mais – Ele riu, eu fiquei envergonhada.
Continuamos o nosso trajecto em silêncio, até que chegámos a um sítio lindíssimos enorme, cheio de relva e flores, a relva parecia macia como a cama onde durmo estes últimos dias, havia flores por todo o lado, aquilo era realmente e espectacularmente lindo. Eu estava embasbacada com aquele lugar.
-Então, gostou do sítio? – Perguntou Zachary, com uma voz doce.
-Amei, este lugar é incrível, muito bonito e charmoso – disse eu.
-Este lugar é considerado o mais bonito da Itália, não só devido a sua boniteza, mas também a calma que o lugar transmite para as pessoas.
-Sente-se – ele ordenou com carinho, eu assentei-me e ele assentou-se no meu lado, nós olhamos um para outro e sorrimos.
Próximo capitulo terá mais Zanessa:)
Comentários:
Line: OláJ Acho que neste capítulo já não odeias a Gina, ela não aparece também…ahahahah…. Beijos.

Myah; Olá:) Um tiro não, coitadinha, ela até é boa pessoa (estou a sonhar ok, já é tarde me Portugal). Beijos

Anónimo: Olá:) Ainda bem que gostas:) beijos

Amanda; Olá:) Não é boa ideia, afogarmos a dona gina na piscina, por que senão a piscina fica cheia de veneno dela, e depois o Zac já não pode lá entrar mais, já viste isso ia ser uma desilusão, já não podemos observar mais o corpo do Zachary sem camisa,,,ahahaha (estou perversa, hoje não estou?) beijos:)

Maria: Olá:) Eu ri com o senhor Zachary, a sério teve piada, pois coitada dela, sem ninguém no mundo, mas neste capítulo, ela já teve alguém:) Beijinhos:)

Adoro - vos
Comentem….nem que seja em anónimo

5 comentários:

• Line disse...

Aaaah sua má..má..má ..má..Como vc pode parar numa parte dessa enh?enh?enh?..ai cristy posta logo..Tá maravilhoso..
Ps. ainda bem qua a gina tomo cha de sumiço nesse cap..Odeio ela :~{
Beijin's

MyaH♥ disse...

Desculpa nao ter comentado antes ficou lindo que vai acontecer nesse lugar em um sopsksskspssk perfeito posta mais beijos

Anónimo disse...

amei uhhhhh paraste na melhor parte isso é um castigo, xta muito bom beijos atrapalhados
Anária

Amanda disse...

eu quero um zachary! eu nao acho ele mais um tarado loco.. eu quero por ele na minha estante e serio!
eh line sim ela e má perita em me fazer sofrer!so na melhor parte ela para!
obs: sempre e a melhor parte!
bjs te adoro

Maria disse...

Pronto ele é mesmo fofo...!!!

é o unico...!!! Só se têm um ao outro...!!

Pronto as diferenças de idade não importam...!!Lol...!!

Beijinhos...!! Gostei muito da descrição do jardim...!!!


=D