BLOGGER TEMPLATES AND TWITTER BACKGROUNDS

domingo, 27 de junho de 2010

Capitulo 20

Pessoal, ainda não sei quantos capítulos, vai ter esta história, apesar de tudo já tenho um final escrito mentalmente…huahsua
Antes, de lerem quero vos informar, que provavelmente levarei dias, a postar…Ando muito ocupada….:/
De seguida, as respostas aos comentários estão no post anterior, e quero dizer um “Obrigada” a todos pelo apoio carinho, e por me defenderem.
Carinho, esse que me demonstram, ao longo de toda a caminha deste blog, é incrível, nunca pensei que gostassem da história…ainda bem que gostam (fico feliz):)

Capitulo:

“Aqui e agora andava eu distraída com os meus diversos pensamentos quando reparo que uma figura esbelta, romana acabara de sair da água, eu estava de queixo caído, as minhas bochechas ganharam cor natural, vermelho, para ser mais precisa.

Eu que pensava que a praia estava deserta.”

(…)

Aquela aparência de beleza excepcional, estava-se aproximar de mim. Eu estava parada, sem sequer mexer ou me movimentar, eu estava maravilhada, era um dos corpos mais bonitos que eu já vira. Certamente seria ele, o homem que qualquer mulher se apaixonaria.

De certo eu não.

Pois pudera o meu coração já tinha dono, apesar do dono nunca ter notado ou reparado nisso, já que ele prefere a minha terrível mãe.
Aquele maravilhoso homem, estava-se aproximar de mim, com um sorriso nos lábios, quando me alcança, ele pronuncia de uma forma cortês e encantadoramente sexy.
-“Olá, Vanessa! O que fazes aqui?” – Eu estava envergonhada, tecnicamente envergonhada, eu acho que ele mesmo, notara o meu curioso nervosismo, que teimava a aparecer.
-“Decidi espairecer um pouco, e refiram-me que esta praia era óptima, decidi vir dar uma espreitadela” – sorri timidamente, eu neste momento, não conseguia definir o meu estado, só sei que estava a linguarejar com o segundo homem mais bonito do Mundo.
-“Fizeste muito bem, teres vido até esta maravilhosa praia” – Ele arriscou um sorriso – “Esta praia é a melhor da Itália.
-“Vens aqui muitas vezes, Dylan?” – questionei eu, eu estava totalmente sem noção, não parava de coçar a cabeça, quando estou nervosa normalmente coço a cabeça.

(Nota: matem - me por ser o Dylan..haushas.)

-“Sim muitas vezes” – ele suspirou – “Este lugar faz - nos reflectir na vida e a adquirir decisões, melhores para nós”. – Fiquei encantada, ele é mesmo uma pessoa agradável, que me dera que me pudesse apaixonar por ele, era a minha melhor hipótese, do que o Zachary. Mas como costumam articulam as pessoas: Nunca nos apaixonamos pela pessoa que realmente é certa para nós.
Realmente a minha mãe tinha razão naquilo acabara me referir no outro dia em que tivemos uma pequena conversa ainda me lembrava dessa conversa.
“Não me digas que te apaixonaste por ele, é um amor impossível, minha adorável criatura, ele tem 35 anos e tu 17 anos, achas que algum dia terás hipótese com ele, a resposta é nunca, e sem esquecer que ele está habituado a mulher muito mais bonitas do que tu algum dias serás, mas o filho que tem a mesma idade do que tu, esse sim, de certeza podes tentar, e esse provavelmente teve poucas experiências sexuais na sua vida e pode esperar até tu teres coragem para te entregares-te a ele.”
Sim, Dylan era a pessoa certa para mim. Mas como é que era possível eu estar apaixonada pelo pai do Dylan? Era mais fácil estar apaixonada pelo Dylan, ele tinha a mesma idade do que eu.
Quando de repente ouço uma voz profunda, que me retira deste terríveis e audazes pensamentos.
-“Estas bem, Vanessa?” – perguntou Dylan, preocupado.
-“Nã..quer dizer sim.”- Fiquei atrapalha e ele sorriu e pronunciou:
-“Não tens a certeza se estás bem” – ele gargalhou – “És estranha”.

Estranha, palavra certa para me definir.

-“De certa forma, não és a única pessoa, que deves pensar isso de mim” – fiz uma pausa e ele olhou para mim e eu acrescentei – “estranha” – realizando as aspas com as mãos.
Mudei de assunto, para tirar o foco, das palavras que eu acabar de proferir.
-“Estás sozinho?” – interroguei eu.
-“Não!” – ele sorriu abertamente – “Estou acompanhado pela minha namorada”.
Namorada. Ele tinha namorada. Não sabia, acho que fiquei nervosa agora.
-“Estava a brincar” – ele gargalhou muito, pudera ele devia ter notado a minha cara de nervosismo autêntico e depois continuou – “Mas agora respondendo a tua questão, eu estou acompanhado por amigos meus e pelo meu p…” – alguém o interrompeu era uma voz de um homem que eu chamara.
-“Dylan, ainda demoras?” – apregoou uma voz em alto e bom som.
-“Olha vou ter que ir, Vanessa” – ele suspirou – “Vou para o balneário, parece que eles já estão prontos, todos menos” – ele fez uma careta muito divertida e eu gargalhei muito – “Ainda ficas na praia?”.
-“Claro, se não te importares” – Ele sorriu abertamente e referiu:
-“Claro que não, Vanessa” – ele pegou numa das minhas mãos e tocou os seus lábios na minha temerosa mão – “Nos vemos mais tarde”.
E partiu até ao balneário, que ali se encontrava.
Decidi continuar o meu trajecto, estava adorar a praia, só me apetecia dar um mergulho, mas havia um problema eu não trouxera biquíni. Num instante para o outro avisto uma belíssima rocha e que se encontrava ao pé do mar, eu decidi ir até aquela rocha fora do vulgar e assento-me acolá e depois fico a observar o mar, aquele vento que a praia estava transparecer, passava por todo o meu corpo, os meus cabelos voam lentamente ao som do vento, o vento calmo e curioso.
De continuação veio-me lembranças a memória, realmente este últimos meses tem sido os mais tristes da minha dolorosa vida, desde a morte do meu pai até a paixão ardente que eu possuía por Zachary, o homem dos meus sonhos, o único que fazia pulsar o meu coração de uma forma descontrolada e única.
Aquele beijo, que trocamos no hall de entrada da mansão, ainda tinha o gosto dos seus lábios na minha boca, o beijo mais delicioso que eu já dera na minha vida, o mais inexplicável.
Como é que possível, alguém a apaixonar-se pelo noivo da sua própria mãe, pensando bem tem piada, isto dava para a escrita de uma história de amor.
Como será que vai ficar este trio? – Reflecti para mim mesma. Não era muito difícil de imaginar o desfecho desta história. O final seria Zachary casar-se com a minha mãe, enquanto eu assisto a todo.
Eles os dois a beijarem-se na igreja vai-me causar arrepios, vou ter que ter muita força para aguentar aquilo que irá acontecer.
Eu gostaria que o meu pai estivesse aqui presente, mas provavelmente se não fosse assim nunca conheceria Zachary, o homem dos meus sonhos.
Não sei se isso seria bom ou péssimo, conhece-lo.
- “Pai quem me dera que pudesses estares aqui” – comentei eu baixinho, para mim mesma.
Eu sentirá as lágrimas a correrem pelo meu rosto, eu estava totalmente triste, fazia-me relembrar a “Matilde de felizmente ao Luar” (Ps: Obra de Frei Luís de Sousa), aquela que sofrera para conseguir tirar o marido da prisão, pois vê a morte do marido a sua frente, queimado. Uma incrível história de amor…amor que nunca irei ter por parte do Zachary.

Não sei se as minhas lágrimas neste momento eram diamante ou cinzas. Se calhar nem são uma coisa nem outra. Talvez sejam estrelas candentes.

De um momento, para o outro os meus lábios começaram-se a mover de uma forma estranha eu comecei a cantar, a música que eu cantara sempre com o meu pai, quando ele ainda era vivo, a música era realmente bonita, mas nesta ocasião (neste momento) era triste para mim.

Você me botou para dormir
Apagou a luz
Me manteve a salvo
Durante a noite
Garotinhas precisam de coisas como essas

Escovou meus dentes
E penteou meu cabelo
Teve que me levar a todo lugar
Você esteve sempre lá quando eu olhei para trás

Você teve de fazer tudo isso sozinho
Criou uma vida
E criou um lar
Deve ser mais difícil do que poderia ser

E quando eu não conseguia dormir a noite
Com medo das coisas não darem certo
Você estava lá para segurar minha mão
E cantar para mim

(Aqui está o link da música: http://www.youtube.com/watch?v=Fx95y0D64CE )

Eu parei de cantar, neste momento os meus olhos estavam um rio, eu estava a desabar eu só queria chorar.
- “Cantas bem, miele” – pronunciou uma voz doce e calma atrás de mim, eu reconhecia aquela voz, não podia ser ele, simplesmente não.
O homem mais bonito acabara-se por sentar ao meu lado, eu tentava com a mão apagar os resíduos de choro, para ele não notar, mas parece que o meu gesto fora em vão. Ele notara, e pegou numa das suas mãos cuidadamente e arrastou o meu queixo para cima, até os nossos olhos se cruzarem e interrogou com uma voz docíssima:
- “O que tens, Vanessa?” – referiu ele, limpando uma das minhas lágrimas que acabara de cair.
- “Nada, Zachary” – só estou apaixonada por ti, incidi eu.

(Nota: Não me matem por que é Zachary)

-“Eu não te vou forçar a falar, mas quero que saibas, se precisares de alguma objecção estarei sempre aqui ao pé de ti” – ele retirou as mãos do meu queixo e continuou – “Se precisares de desabafar, basta ires ter comigo, eu estarei prontamente para te escutar” – ele demandou o sorriso.
- “Obrigada Zachary” – o meu sorriso foi voluntário e depois eu lembrei-me como a que ele sabia que estava aqui? Decidi tirar a resposta a minha pergunta mental – “Zachary como é que sabias que eu me encontrava aqui neste sítio?” – eu vi que ele estava nervoso.
Será que ele me segui até aqui? Não, quando eu sairá ele não estava em casa”
-“Foi o Dylan que me indicara que você estava na praia” - ele suspirou e continuo – “Esta desagrada, com a minha presença?” – eu reparei que os olhos dele ficaram tristes de um momento para o outro.
-“Não, claro que não” – respondi automaticamente, parecia que a minha voz tinha sido mecanizada – “Só achei estranho, me teres encontrado tão cedo”. Ele olhou para mim demonstrou um pequeno sorriso antes de pronunciar-se:
-“Eu estava primeiro do que tu na praia, quando tu encontraste o Dylan eu estava dentro dos balneários, foi por isso que nós não nos cruzamos” – ele proferiu rapidamente e deu pequeno suspiro – “E depois Dylan acabara por referir que te tinha visto aqui na praia” – suspirou mais uma vez – “Eu decidira vir a tua procura, até te encontrar aqui, sozinha e triste”. – eu fiquei paralisada, será que o destino nos queria juntar, sempre que saio fora daquela mansão acabamos sempre por nos encontrar, primeiro no jardim, agora na praia.
Destino, não certamente não. O destino quer - o ver junto com a minha mãe.
Eu certamente saberia, que Zachary estaria aqui, Dylan tentou proferir quando nos encontrarmos, mas depois acabou por ser interrompido. Aquele p era de pai, ao inicio nem notara mas agora as coisa eram mais claras.
“Mas agora respondendo a tua questão, eu estou acompanhado por amigos meus e pelo meu p…”

Não percam o próximo capitulo (huahauahs). Este de certa forma foi o pior capitulo, que eu já fizera na minha vida.

Antes, de mais quero vos pedir que divulgues os meus blogs, e depois digam-me que eu divulgo os vossos a seguir. Obrigado:)

Pessoal, aqui divulgo um blog, muito bom, este blog é da minha Amiga Any, passem por lá:)
http://zavahistory-any.blogspot.com/ Obrigada

Divulgo, aqui também o meu novo blog, está lá decorrer um concurso de blogs, a todos que estejam interessados escrevam-se:
http://cristy-zacandvanessa.blogspot.com/

Obrigada
Espero que tenham gostado do capítulo, e se tiver algum erro é normal, quando eu escrevo o capítulo, nunca leio a segunda vez.
Não consigo ler aquilo que escrevo, eu sei é meio idiota, mas é verdade…AFFF
:/ignorem.

Ps: comentem, é importante saber a vossa opinião há cerca da história, eu aceito comentários negativos, desde que não sejam brutalmente ofensivos.

Próximo capitulo 10 comentários:)

10 comentários:

jess disse...

ta horrivel? nd disso! esta maravilhoso beijocas

♥amor eterno zanessa♥ disse...

AHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH eu pessei di primeira que era zac fekei louca"graças a deus que ginamostro nao apareceu akk"


a voz mais linda que eu nunca ouvi e a do zac " akkkk "

beizanessa ate mais ♥

MyaH♥ disse...

olha te mato se falar que tá horrivel mais uma vez... Tah lindo maravilho!!
Lindo ohhhhh

• >> Line disse...

Oi Cristy..Sumi um dia e vc fez um blog néh..AHUAHUAHU pode deixar que se for seu..Eu sigo e comento =D..Beijos amigah e o capitulo tá mega hiper..Maravilhoso =D
Beijos da Best Line <3

Amanda disse...

miele! momento zac efron..kkkk
ai sua chata para de dizer que esta horrivel vc sabe que estao otimos nao seja tao critica com vc msm.. agora eu quero te dar os parabens vc me enganou direitinho eu dava minha vida que qm estava saindo do mar era o zac, mais era o dylan que cá entre nós e maravilhoso e aqui eu so aceito dividir se ele passar a maior parte do tempo comigo eu sou uma pessoa egoista!

sabe hoje to meio depre! eu tava lendo uns comentarios la no just jared sabe ai tinha um povo la falando que o zac trai a vanessa fiquei tao triste eu sei que pode ser mentira pois la as pessoas colocam sua opiniao entao nao e totalmente seguro mais msm assim to me sentindo pessima! vc acha que e verdade!
bjs te adoro

carol disse...

O sua loka varrida srs como podes dizer q este foi o pior capitulo q ja escrevestes , pois foi um dos melhores adoro quando vc entra com o seu romantismo e as coisas engraçadas que vc escreve , realmente adorei o capítulo .

Talvez nao seja o destino q esteja ajudando os personagens na história e sim vc hum,espertiha srsr , mais então nao mim digas q vai ficar sem postar, haaaa q pena mais eu espero sua volta curiosa , olha escuta o q eu to te dizendo o Zac e a Van tem que dá mais um beijo pelo amor ...continua a histoŕia esta merecedora .
beijoss !
te adoro !

Maria disse...

Olaa...!!

Horrivel?...o que?? estas a gozar?? Este capitulo está lindo...!!

Só aquela praia...!! Só aquele momento romantico..!!

Foi pena não ter sido o Zac da primeira vez...!! Mas ele apareceu depois...!! Os teus momentos Zanessa São deliciosos...!!
Cá para mim o Dylan gosta da Vanessa...!!
Espero que ela não faça nada que se arrependa...!!=P

Beijinhos muito grandes...!! Adoro.te...!!=P

Rita disse...

Oi! Bem eu já leio as historias a muito tempo mas como sou muito preguiçosa não tenho comentado, ultimamente pus-me a pensar e vi que realmente as pessoas que escrevem as histórias que nós gostamos de ler merecem ser reconhecidas por isso e a unica maneira que nós temos de fazer isso é comentando por isso decidi que a partir de hoje vou comentar todas as histórias que leio.
Antes demais acho que te devo um pedido de desculpa por nao ter começado a comentar antes, as tuas histórias são espectacular, das melhores que eu já li, tu es uma grante escritora, espero que nunca deixes de escrever porque acho que realmente vais ter muito sucesso nesta area.
Quanto a este capitulo, oh rapariga que não tas bem da cabeça certo? O capitulo tá espectacular, tá mesmo muito bom eu adorei, tenho um felling de que será em breve que o Zac descobre que a vanessa é filha de gina e que esta a 'obriga' a trabalhar como empregada para disfarçar. Espero que a Vanessa não vá para a frente com a ideia de voltar para casa e deixar la a mae, a menos que o Zac depois vá atras dela, aí sim era a cereja em cima do bolo... uahsuhasa'
Estou super curiosa para o proximo capitulo.
Beijinhos e parabens pelas tuas histórias!
Acho que vou começar a ser comentadora (?) assidua! =D
Xau

Melhores amigas disse...

estou a adorar a historia, esta linda, tens muito jeito para isto continua.
Já divulguei o teu blog, passem no meu blog que la esta o link bjs

Melhores amigas disse...

So mais uma coisa o meu blog é http://melhoresamigas14-zanessa.blogspot.com/